O dia que Jorge Lafond botou a Marquês de Sapucaí abaixo

lafond.jpg

Música vazou na web nesta quinta-feira. Em respeito aos artistas e demais profissionais envolvidos na produção, não divulgaremos links para ouvir a canção até a sua divulgação oficial

Esta semana marca os 15 anos de saudade de Jorge Lafond, um dos grandes ícones LGBTs do Brasil. Ator, humorista, bailarino, uma força da natureza em quase dois metros de altura. Neste vídeo, ele aparece em um dos maiores momentos de sua trajetória, que tem tudo a ver com que ele era em cena. Do alto de um carro alegórico que representava um vulcão, ele era toda a força do homem, ou melhor, da bixa preta guerreira, esplendorosa em seus trejeitos, em sua arte. Uma chama intensa que quem viu passar na avenida, nos palcos, na vida, sabe que nunca vai se apagar.

O desfile, de 1990, guarda uma curiosidade e ousadia do carnavalesco Joãosinho Trinta e de Lafond. Era o primeiro ano que a nudez estava oficialmente proibida no Sambódromo. Foi então que o carnavalesco apresentou a Lafond a proposta de aparecer no carro alegórico completamente nu com apenas uma malha transparente "vestindo" seu pênis. A aparição de Lafond foi babado, confusão e gritaria, chamaando a atenção de toda a Sapucaí. Era a provocação, o deboche contra a moral e os bons costumes. 

Sem ter como contestar o fato de Lafond estar vestido, a Liga das Escolas de Samba não tirou pontos da Beija-Flor naquele carnaval.

 

Tema de documentário

 

A vida do artista nascido na Vila da Penha, subúrbio do Rio, será contada no documentário "Divino Lafond". A produção terá a direção do jornalista e produtor cultural Breno Lira Filho. A produção começa a ser rodada ainda neste mês de janeiro.